O homem e a mancha

O homem e a mancha

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Cânceres


Dois espetáculos gaúchos, neste 2010, trouxeram para o palco a figura da mulher que sofre com o tratamento agressivo do câncer. Quimioterapia, radioterapia - esses tratamentos agressivos que buscam eliminar as células cancerígenas, provocam reações adversas e muito mal estar em quem é alvo deles. A queda de cabelos é uma das consequências. Na peça Mães & Sogras, que dirigi este ano, Carla Gasperin interpreta uma mulher sob tratamento, em cadeira de rodas. Em O animal agonizante, espetáculo dirigido por Luciano Alabarse, Luciana Éboli dá vida a uma descendente de cubanos que sofre do mesmo mal. Curiosidades: ambas as imagens acima foram feitas pelo grande fotógrafo Júlio Appel. Outra: os autores das duas histórias que trazem o câncer como um dos temas principais são judeus. Leandro Sarmatz, porto-alegrense, escreveu a peça Mães & Sogras. Philip Roth, norte-americano, é o autor do romance que deu origem ao espetáculo do Luciano.
Existem teorias (não sei se concordo, mas são interessantes) de que a fixação dos judeus pela doença, pelo câncer, tem origem em uma espécie de sentimento de culpa ancestral, do qual já sofria o genial Franz Kafka. A culpa, corroendo as entranhas judaicas, daria origem à doença, que muitos consideram como somática, em certos casos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário