O homem e a mancha

O homem e a mancha

sábado, 31 de dezembro de 2011

Ari Ari Ari Dunkon Bomgim Farzin

Em 2012, que os desejos se concretizem, que os reconhecimentos venham, que a felicidade se instale permanentemente.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

2011 foi um ano dramatúrgico

Em 2011, três espetáculos de teatro com textos escritos por mim estiveram em cartaz nos palcos de Porto Alegre. Normalmente escrevo duas peças por ano (uma no primeiro e outra no segundo semestre), para serem montadas na Oficina de Montagem de Espetáculo da Cia. de Teatro ao Quadrado, e que são dirigidas pela Margarida Leoni Peixoto, mas neste 2011 ainda tive a felicidade de ter encenada uma peça de teatro para crianças, com direção da Lúcia Bendati:
 
A CÃOFUSÃO- UMA AVENTURA LEGAL PRA CACHORRO
Estreou em abril, e após 12 indicações ao Prêmio Tibicuera, recebeu 5 troféus, incluindo Melhor Espetáculo, se tornando a peça de teatro mais premiada do ano em Porto Alegre (sem contar os 7 troféus recebidos no Fenata, em Ponta Grossa).

PLAZA XAVANTES
Resultado da nossa oficina de montagem de espetáculo, estreou em julho, com um elenco super afinado de alunos-atores. A história se passava em um condomínio de classe média baixa, na periferia de Porto Alegre, mostrando um dia na vida de divertidos e por vezes extravagantes personagens.

RECANTO DO CISNE
Também resultado da Oficina de Montagem de Espetáculo da Cia. de Teatro ao Quadrado, com estreia em dezembro, essa comédia ambientada na clínica geriátrica que dá título à peça contava a história de uma velhinha serial killer que matava suas colegas de internação, em busca de umas famigeradas joias enterradas no quintal.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Teatro ao Quadrado comemora 10 anos em 2012

Matéria publicada no jornal Correio do Povo de hoje, a partir de entrevista com a jornalista Vera Pinto, com foto de Mauro Schaefer:
Grupo celebra dez anos com musical de Molière
Artimanhas de Scapino é o musical farsesco, protagonizado por Marcelo Adams e dirigido por Margarida Leoni Peixoto, que celebra os 10 anos da Cia. Teatro ao Quadrado. Com estreia dia 29 de junho, no Theatro São Pedro, integra o projeto contemplado com o Prêmio Funarte Myriam Muniz, composto por leituras dramáticas de Molière e apresentações de Goela Abaixo.
Um criado esperto, faminto e sedutor elabora estratégias para conseguir seus objetivos, metendo-se em várias confusões. Seus dois patrões pedem que interceda para que consigam seus intentos amorosos. Através das artimanhas que inventa, ele deve enganar os pais das duas mocinhas pelas quais a dupla está apaixonada. "Eles ganham mal, sempre têm fome e são sedutores, então os patrões os usam. Enganam os outros, mas são carismáticos", diz Margarida, que ministra com Marcelo oficinas teatrais regulares, na Cia. de Arte, em turmas mistas dos níveis Iniciante e Intermediário.
Para dar vida a esta trama, inspirada na commedia dell''arte e cujo ponto alto é a fisicalidade, subirão ao palco Claudia Lewis, Luísa Herter, Carlos Cunha Filho, Carlos Paixão, Gustavo Susin, Marcelo Mertins e Vinícius Meneguzzi. Completam a ficha técnica Élcio Rossini na cenografia; Rô Cortinhas, no figurino; Fernando Ochôa, na iluminação; Marcos Chaves, na trilha sonora e Larissa Sanguiné, na coreografia. Mas a parceria do casal não é bem-sucedida apenas na profissão: em 2012 comemoram 10 anos de casamento.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Václav Havel, o autor de Goela abaixo, morreu

 
Faleceu no dia 16 de dezembro, na República Checa, Václav Havel, um dos nomes mais importantes do século na luta pelos direitos humanos. Havel foi presidente daquele país de 1993 a 2003, indicado ao Prêmio Nobel da Paz e autor de várias peças teatrais, poemas e ensaios tratando dos mais variados temas.
Nós da Cia. de Teatro ao Quadrado temos uma admiração enorme pelo legado de Havel, especialmente sua dramaturgia, de qualidade inestimável. O Teatro ao Quadrado apresentou o teatro de Havel aos palcos gaúchos através de duas peças encenadas em Porto Alegre: GOELA ABAIXO OU POR QUE TU NÃO BEBES?, em 2003, e BURGUESES PEQUENOS, em 2006, que ainda permanecem sendo as únicas montagens gaúchas para textos de Havel.
GOELA ABAIXO OU POR QUE TU NÃO BEBES?, aliás, voltará para sua tradicional temporada dentro do Porto Verão Alegre 2012, de 7 a 12 de fevereiro, no Teatro de Arena. O grande diferencial de nossa montagem é que oferecemos cerveja gratuitamente para o público beber enquanto assiste à peça, já que a ação dessa etílica comédia se passa em uma cervejaria.
Estamos em contato com uma conceituada cervejaria do nosso estado para patrocinar a distribuição da cerveja para o nosso público. Assim que fecharmos a parceria, divulgo por aqui.
Estamos de luto pela morte desse grande homem, mas felizes por continuar encenando sua obra, que é autobiográfica, já que Václav Havel trabalhou em uma cervejaria tcheca nos anos 1970, da mesma forma que a personagem que eu interpreto, ao lado de Margarida Leoni Peixoto (maravilhosa como o Mestre-cervejeiro). Em fevereiro tem mais!

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

5 maneiras de fechar os olhos

O longa metragem produzido pelos alunos do curso de Produção audiovisual da PUCRS terá uma exibição nesta quinta-feira. Faço parte do elenco, junto de muitos outros atores gaúchos, entre eles Carlos Paixão, Márcia do Canto, Áurea Baptista, Júlio Conte, Luís Franke e Rossendo Rodrigues. Vale a pena conferir, o roteiro é muito bom, e tenho certeza que o filme ficou uma beleza.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Recanto do cisne nos dias 13, 14 e 15 de dezembro


Nos dias 13, 14 e 15 de dezembro, às 20h30min, no Centro Cultural Cia. de Arte (Andradas, 1780- Centro Histórico de Porto Alegre), estará em cartaz o novo espetáculo da Oficina de Montagem de Espetáculo da Cia. de Teatro ao Quadrado, RECANTO DO CISNE, com direção de Margarida Leoni Peixoto para o texto de Marcelo Adams. Desta vez, a história se passa em um casa geriátrica, onde um divertido grupo de idosos tem seu cotidiano abalado por uma série de crimes misteriosos. No elenco, estão os alunos-atores Adriane Guerreiro, Ana Maria Mattos, Daiane Letícia, Fernanda Viale, Flávia Boabaid, Kellen Linhares, Kelly Goebel, Leonardo Covi, Mafalda Panattieri, Maurício Schames, Paula Piussi, Rodrigo Obregon e Sónia Magina. Na ficha técnica constam ainda o cenário de Valéria Verba, a iluminação de Wagner Duarte e a maquiagem de Nikki Goulart.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Ariane Mnouchkine entre nós

Não é todo dia que temos a oportunidade de estar ao lado de mentes brilhantes como a da encenadora francesa Ariane Mnouchkine, uma lenda viva da história do teatro. Antes de assitir ao deslumbrante Os náufragos da Louca Esperança, Ariane nos brindou com sua simpatia e disponibilidade para estar junto de mim e da Margarida nessa foto. O espetáculo, como era de se esperar em uma produção do Théâtre du Soleil, beira a perfeição técnica e o virtusiosismo nas atuações. E ainda tematiza o cinema, minha segunda maior paixão após o teatro, e que foi o responsável por eu ter me aproximado das artes cênicas, desde meus tempos de criança.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

A cãofusão: 12 indicações ao Prêmio Tibicuera

Recorde de indicações do teatro de Porto Alegre em 2011, A CÃOFUSÃO- UMA AVENTURA LEGAL PRA CACHORRO emplacou 12 nominações no Prêmio Tibicuera de teatro para crianças. Lá vão as indicações:
Melhor espetáculo
Melhor direção: Lúcia Bendati
Melhor dramaturgia: Marcelo Adams
Melhor ator: Ricardo Zigomático
Melhor atriz: Fernanda Petit
Melhor ator coadjuvante: Cassiano Fraga
Melhor ator coadjuvante: Daniel Colin
Melhor atriz coadjuvante: Letícia Paranhos
Melhor trilha sonora: Álvaro RosaCosta
Melhor figurino: Cláudio Benevenga e Zélia Mariah
Melhor iluminação: Fernando Ochôa
Melhor produção: Rodrigo Ruiz
Eu, particularmente, fico muito feliz com minha indicação ao prêmio de Melhor Dramaturgia. A cãofusão é minha primeira peça infantil encenada, e eu não poderia esperar resultado melhor com essa equipe maravilhosa que se juntou para dar vida às minhas personagens. Parabéns a todos, e estou torcendo!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

A cãofusão encerrando o ano!

Sábado e domingo acontecem as últimas apresentações de 2011 de A CÃOFUSÃO- UMA AVENTURA LEGAL PRA CACHORRO. Vá conferir!

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Kalashnikov, eu acabei de falecer, e você?

O espetáculo resultante do Curso de Formação de Atores 2011 do TEPA está em cartaz na sede da escola (Cristóvão Colombo, 400), e deve ser visto por quem se interessa pelo teatro contemporâneo. A história dessa montagem, que envolve 19 alunos-atores, é assim: há alguns meses, a Jezebel de Carli estava procurando um texto para essa montagem, e que tivesse determinadas características (proporcionasse a participação de vários atores, fosse contemporâneo, tivesse uma temática instigante...). Imediatamente lembrei de um texto, Cruzadas, de Michel Azama, e sugeri à Jeze. Esse texto é muito especial para mim, recorrentemente volto a ele; há alguns anos fiz um projeto para montá-lo, que não foi aprovado. Depois, no final de 2009, quando estávamos montando Solos trágicos, dirigido pelo Roberto Oliveira, apresentei o texto a ele, como exemplo do trágico na dramaturgia contemporânea. O Roberto adorou, e trechos de Cruzadas foram utilizados nos fragmentos atuados por Daniel Colin, Fernanda Petit e Lucas Sampaio.
Agora a Jezebel, a Gina Tocchetto e a Tatiana Vinhais assinam a concepção e o roteiro dessa montagem, que por se tratar de uma adaptação de Cruzadas recebeu o título de Kalashnikov, eu acabei de falecer, e você?. Eu mesmo, como professor de Teoria e História do Teatro no TEPA ajudei pontualmente no trabalho de atuação de alguns dos alunos.
A encenação é vigorosa, contando com o trabalho corporal intenso dos atores, e embalados pela brilhante dramaturgia de Michel Azama. Cruzadas trata de guerras. Ainda que a ação principal se concentre no Oriente Médio, em uma fronteira que divide judeus e palestinos, há espaço para outras guerras (a invasão dos ocidentais em busca do Santo Graal, na Idade Média; a invasão do Iraque pelos norte-americanos; o massacre dos peles-vermelhas nos Estados Unidos, etc.). O trio de diretoras constrói um espetáculo musical, com banda rockeira ao vivo, coreografias entusiasmantes, imagens surpreendentes e entrega total do jovem elenco. É um espetáculo atualíssimo, não só pela temática da violência, mas pela forma encontrada para traduzir tudo isso em teatralidade. Fica em cartaz até dia 15 de dezembro, de terças a quintas, e é realmente imperdível.

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

A cãofusão: últimas apresentações do ano!

No próximo fim de semana serão realizadas as últimas apresentações do espetáculo musical para crianças A CÃOFUSÃO- UMA AVENTURA LEGAL PRA CACHORRO. Com texto meu e direção de Lúcia Bendati para um elenco primoroso, a peça certamente está entre os destaques do teatro de Porto Alegre neste 2011. Dinâmico, alegre, poético e engraçado, são alguns dos adjetivos que o público tem aplicado a essa aventura animal. Quem ainda não assistiu a esse multi-premiado trabalho (recebeu sete prêmios no último Festival de Teatro de Ponta Grossa/PR, entre eles Melhor Espetáculo) não pode perder esta chance!

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

As duas primeiras batidas de Molière

O Grupo Farsa está voltando a cartaz, a partir deste fim de semana, com as duas montagens que realizou a partir de peças do dramaturgo francês Jean-Baptiste Poquelin, "dit" Molière.
A primeira delas, O avarento, de 2009, constrói uma encenação mais clássica visualmente (com figurinos remetendo ao século XVII francês) e com um trabalho vocal preciso e entusiasmante. O grupo viajou bastante com essa peça, e ganhou diversos prêmios em festivais pelo Brasil.
De 2011 é Tartufo, com uma ideia diversa em relação à ambientação: nada do classicismo francês, que é abandonado em favor de uma contemporaneidade (do século XX, pelo menos) que escancara a validade da crítica que Molière fazia à Igreja Católica Apostólica Romana. Na versão do Farsa, a  crítica recai sobre os cultos pentecostais, que fazem horrores prometendo literalmente céus e terras aos seus devotos.
Dois espetáculos marcantes e que devem ser conferidos por todos que fazem e gostam de bom teatro. Eu vou assistir de novo, até mesmo como preparação para a nova montagem que a Cia. de Teatro ao Quadrado está preparando para 2012, de um texto de Molière.

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

UMA SOMBRA NA ESCURIDÃO- leitura dramática

O Teatro de Arena de Porto Alegre mantém o projeto Dramaturgia em debate, em que dramaturgos gaúchos são convidados para apresentarem um de seus textos através de leitura dramática. Já estiveram no Arena Júlio Zanotta, Artur Pinto, Patsy Cecato (estou esquecendo de alguém, provavelmente) e agora é a minha vez.
Na próxima terça-feira, 22 de novembro, às 20 horas no Teatro de Arena, vamos realizar a leitura dramática de um de meus textos, UMA SOMBRA NA ESCURIDÃO, com ENTRADA FRANCA. A peça é uma paródia-homenagem ao gênero policial noir, ambientada na Nova York da década de 1950, e que foi celebrizado pelo cinema norte-americano das décadas de 40 e 50 do século XX. Filmes como O destino bate à sua porta, Pacto de sangue, Crepúsculo dos deuses e Chinatown compõem a inspiração da minha peça.
Participarão da leitura os atores Margarida Leoni Peixoto, Gustavo Susin, Marcos Chaves, Larissa Sanguiné, Luísa Herter, Carlos Paixão, Rossendo Rodrigues, Diogo Zanella e Marcelo Adams.
O Teatro de Arena fica na Av. Borges de Medeiros, 835- Centro de Porto Alegre.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

A bilha quebrada estreia no Teatro de Arena

Montagem de texto cômico do dramaturgo alemão Heinrich von Kleist ocorre de 18 de novembro a 11 de dezembro (sextas, sábados e domingos) com direção de Clóvis Massa. Peça escrita pelo poeta, romancista, dramaturgo e contista alemão que viveu apenas 34 anos (1777-1811), e que ficou mais conhecido por suas obras sérias, ganha adaptação livre e será encenada 50 anos após sua última exibição na capital gaúcha.
A bilha quebrada estreou em 1808 em Weimar (Alemanha) com direção de ninguém menos do que Goethe. Em Porto Alegre, no início dos anos 1960, foi montada com muito sucesso, com a direção de Linneu Dias e elenco em que se destacavam Cláudio Heemann e Lilian Lemmertz.
Em 2011, o diretor Clóvis Massa propõe uma nova leitura da obra, que ganha temporada de 18 de novembro a 11 de dezembro, sextas, sábados e domingos, às 20 horas, no histórico Teatro de Arena de Porto Alegre (Borges de Medeiros, 835, Altos do Viaduto, Centro Histórico).
A ação da peça se passa no tribunal do juiz Adão, na aldeia holandesa de Huisum, onde Dona Marta se queixa que uma bilha (ou seja, um jarro) foi quebrado na noite anterior, quando sua filha Eva foi surpreendida com um homem em seu quarto em plena madrugada. Enquanto acusa o noivo da jovem, o camponês Ruprecht, sob a presença austera do desembargador Walter, vindo de Utrecht, à medida que o julgamento ocorre, fica claro que outro homem, também presente no tribunal, é o verdadeiro culpado pelo estrago da relíquia.
Para Clóvis Massa, a ausência de montagens da obra de Kleist se deve pelas dificuldades da escritura romântica: “O enredo é simples, mas essa aparente simplicidade é justamente o grande desafio da peça. É interessante como Kleist emprega o grotesco, ou seja, a coexistência de elementos contrários. É uma comédia que abusa do discurso e da narração dramática, mas que contem algo de inverossímil e farsesco. Os vários personagens estão presentes no tribunal em quase todas as cenas, apesar de não participarem todo o tempo. Até mesmo o título traz essa ambiguidade, pois a maioria das pessoas desconhece que bilha é um jarro.”
Esta peça está sendo montada com o Prêmio de Incentivo à Pesquisa Teatral no Teatro de Arena, destinado a projetos inéditos de pesquisa em Artes Cênicas, que resultou em uma produção especialmente criada para arena de três lados, desenvolvida no Teatro de Arena, no 1° e 2º semestres de 2011.
Ficha técnica:
A BILHA QUEBRADA | Montagem do Coletivo Confúcios & Confusos
Direção: Clóvis Massa
Direção Musical: Marcão Acosta

Iluminação: Cláudia de Bem
Figurinos: Rô Cortinhas
Maquiagem: Margarida Leoni Peixoto
Projeto gráfico: Dídi Jucá
Cenografia: Marco Fronckowiak
Fotos: Julio Appel
Produção: MS2 Produtora
Elenco: Luís Franke, Luciano Pieper, Renata Teixeira, Marcello Crawshaw, Claudia Lewis, Larissa Tavares, Marcelo Mertins e Ariane Mendes 
Serviço:
A bilha quebrada – Coletivo Confúcio & Confusos
De 18 de novembro a 11 de dezembro de 2011. Sextas, sábados e domingos às 20h
Teatro de Arena (Borges de Medeiros, 835, Altos do Viaduto – Centro Histórico - Porto Alegre)
Ingressos:
R$20,00
R$10,00 (Classe artística, idosos e estudantes)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Ivo Bender vence o Prêmio Fato Literário 2011

Mais do que merecida a vitória do dramaturgo Ivo Bender no Prêmio Fato Literário 2011. Este é um ano muito especial para o Ivo, quando completa 50 de dramaturgia e 75 de idade. Parabéns Ivo, um exemplo positivo para todos que fazem do teatro a principal forma de expressão artística!

sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Mulheres Pessegueiro estreia hoje

O novo espetáculo com texto e direção da amiga Patsy Cecato estreia hoje. Patsy tem em sua carreira, que já conta mais de 30 anos, espetáculos de sucesso como Se meu ponto G falasse, Manual prático da mulher moderna, Hotel Rosa-Flor...(isso para ficar apenas nos mais recentes, a partir dos anos 1990).
No elenco estão (no cartaz, de cima para baixo) Catharina Conte, Laura Medina, Áurea Baptista e Lourdes Kauffmann. Merda a todos da equipe!

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Maldito coração, me alegra que tu sofras

Com 15 anos de estrada, Maldito coração, me  alegra que tu sofras, é um daqueles espetáculos que costumam permanecer em cartaz por anos. Porto Alegre tem essa característica, de eleger alguns trabalhos e torná-los especiais e queridos pelo público (é claro que, para isso, é indispensável o desejo de continuar com um mesmo trabalho por anos, por parte dos envolvidos). 
Reunindo três artistas de grande destaque no teatro gaúcho, a peça é um solo agridoce, que traz algumas surpresas para a plateia que assiste ao texto de Vera Karam, conduzido de maneira delicada pela direção de Mauro Soares e a interpretação madura e extremamente nuançada de Ida Celina.
Uma informação que eu desconhecia é que a peça estreou em 1996, em Buenos Aires, Argentina. Mas agora a peça está aqui pertinho de nós, e é uma obrigação, para todos aqueles que gostam de bom teatro, assistir esse belo espetáculo.
Teatro do Instituto Goethe
Dias 11, 12 e 13 de novembro
Sexta e sábado às 21h e domingo às 20h 
Ingresso: R$ 20,00
Desconto: 50% Classe artística / Idosos
10% Estudantes


sábado, 5 de novembro de 2011

Os fuzis da Sra. Carrar: fotos da leitura dramática

No dia 21 de outubro, dirigi a leitura dramática do texto Os fuzis da Sra. Carrar, de Bertolt Brecht, no Teatro de Arena, na semana de aniversário de 44 anos deste importantíssimo espaço cultural do Rio Grande do Sul. Na ocasião, estavam presentes na plateia diversas personalidades da cena cultural de Porto Alegre, entre elas o fundador do Arena, Jairo de Andrade, e o ex-governador do estado, Olívio Dutra. No elenco da leitura estavam Mirna Spritzer, Margarida Leoni Peixoto, Vika Schabbach, Gisela Habeyche, Luísa Herter e Lúcia Bendati.
 
 
  
 
 
  
 
 
  
 
 

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA na Casa de Cultura Mario Quintana

O longa metragem A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA, filmado inteiramente no Rio Grande do Sul, com equipe (quase) 100% local (o André Luís da Cunha, diretor de fotografia, é de Brasília), continua em cartaz nos cinemas de Porto Alegre. É impressionante a longevidade desse elogiado e premiado filme dirigido pelo Fabiano de Souza em salas da capital. Estreou no dia 16 de setembro, em três espaços, e agora volta a cartaz na SALA EDUARDO HIRTZ da Casa de Cultura Mario Quintana, em sessões diárias às 19h15min.
Muita gente já assistiu e continua assistindo a esse belo filme, com elenco principal composto por Marcelo Adams, Marcos Contreras, Rafael Sieg e Miriã Possani.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Ivo Bender e Ana Mariano concorrem ao Prêmio Fato Literário 2011

Neste ano, o Prêmio Fato Literário tem duas pessoas a quem admiro muito concorrendo: a poeta e romancista Ana Mariano e o dramaturgo Ivo Bender.
Ana lançou há pouco seu lindo romance Atado de ervas. Ivo também entregou seu primeiro volume de contos, depois de 50 anos escrevendo para teatro, ambos publicados pela L&PM. Vote no site para escolher o vencedor pelo Júri popular em

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

De professor a aluno

A matéria aí de cima foi publicada esta semana na Contracapa da Zero Hora, comandada pelo jornalista Roger Lerina. Primeiras divulgações do nosso novo espetáculos, que estreará em março de 2012.
Fiquei pensando que a vida do ator é tão interessante porque ele pode abordar os diferentes ângulos de um mesmo problema conforme ele muda de personagem. Explico: em 2010, a Cia. de Teatro ao Quadrado encenou A LIÇÃO, de Eugène Ionesco, onde eu vivia o Professor psicopata (foto logo abaixo) que manchava de sangue a sala de aula a estocadas de faca. Em 2012, viverei o outro lado dessa moeda, dando concretude a um estudante, também em uma sala de aula. Em comum às duas peças, a violência que corre à volta da instituição escola. Em INIMIGOS DE CLASSE, minha personagem chama-se Ferro (dá pra ter uma ideia, pelo nome, de que esse aluno também não é exatamente um bom moço), e o texto de Nigel Williams deixa claro que o problema da educação, no mundo atual, é mais complexo do que parece à primeira vista: não há maniqueísmo possível, não há culpados e inocentes; há sim um sistema educacional oscilante e pedindo para ser transformado.
Enquanto isso, na vida real, eu, Marcelo Adams, personagem de mim mesmo, sigo sendo professor na UERGS, e ensinando teatro aos meus alunos...

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Os fuzis da Sra. Carrar

Amanhã, dia 21 de outubro, será realizada a leitura dramática da peça OS FUZIS DA SRA. CARRAR, do dramaturgo alemão Bertolt Brecht, às 20 horas, no Teatro de Arena (Borges de Medeiros, 835), com ENTRADA FRANCA. A escolha do texto para essa leitura se deu por uma circunstância triste para o teatro gaúcho: neste ano perdemos o ator Jesus Tubalcain, que fez parte do elenco do Teatro de Arena em seus primeiros tempos (anos 1960 e 1970). Em 1968, Jesus participou de sua primeira montagem no Arena com a encenação desta peça; é portanto uma forma de homenagear esse ator que fez parte de um dos momentos mais importantes da história de nosso teatro.
Escrito por Brecht em 1937, o texto é um dos mais conhecidos deste grande teórico e encenador teatral do século XX, e é ambientado na região da Andaluzia, na Espanha (a mesma de Federico García Lorca). Durante a Guerra Civil Espanhola (iniciada em 1936), Teresa Carrar mantém sob sua guarda alguns fuzis que haviam pertencido ao seu finado marido. Quando seu irmão Pedro chega em sua casa, disposto a carregar consigo os fuzis, para que sejam utilizados na resistência contra o General Franco, a Sra. Carrar nega-se a entregá-los, acreditando que a violência não é a melhor saída. Uma série de embates éticos são travados entre as personagens, discutindo questões que envolvem o estado de guerra e as decisões que advêm de envolver-se diretamente ou não no conflito.
A leitura dramática tem direção de Marcelo Adams, e tem no elenco apenas mulheres, que interpretam também as personagens masculinas: Mirna Spritzer, Margarida Leoni Peixoto, Gisela Habeyche, Vika Schabbach, Luísa Herter e Lúcia Bendati.
Na mesma ocasião, será lançado o edital do Prêmio de Pesquisa em Artes Cênicas do Teatro de Arena, versão 2012.
Esta é uma foto da montagem original do Arena, de 1968. Jesus Tubalcain é o bigodudo. No elenco estavam atores atores como Ida Celina (querida parceira minha de palco), Ludoval Campos, Alba Rosa, Aparecida Dutra, entre outros, sob a direção de Wagner Mello.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Goela abaixo ou Por que tu não bebes?

O nosso amigo Bob Bahlis esteve comigo e com a Margarida ontem, em Passo Fundo, onde apresentamos nosso espetáculo GOELA ABAIXO OU POR QUE TU NÃO BEBES?, que está em cartaz desde 2005. A seguir um trechinho da peça, que Bob gravou.

sábado, 15 de outubro de 2011

Cida Moreira em A dama indigna

 
Cida Moreira é uma das maiores atrizes a que já tive o prazer de ouvir cantar. Sim, porque chamar Cida de cantora, apenas, é ser impreciso. O que ela faz não é só cantar, mas transmitir de tal maneira e com tal riqueza de intenções as canções que interpreta, que eu, que sou ator, fico invejando admirado o incrível e riquíssimo arsenal de sutilezas que ela decanta. Quem já ouviu Sympathy for the devil, por exemplo, na vibrante voz de Mick Jagger, fica surpreso com a quase-doçura-assustadora com a qual Cida a interpreta. Ou Summertime, um dos maiores clássicos da canção do século XX, que Cida consegue reinventar de maneira comovedora.
Assistindo ao show de Cida no Studio Clio, por várias vezes fui levado às lágrimas: as palavras que ela pronuncia parecem, como que pela primeira vez, fazer sentido, mesmo que já as conheçamos. Foi assim com Maior que o meu amor, que de tão sincera na interpretação de Cida, faz com que se torne a versão definitiva para essa linda canção. Ou com O ciúme, de Caetano Veloso, de uma beleza engasgante.
Não dá para falar de momentos altos do show, porque todos eles são magnéticos: Cida nos prende com sua presença segura e rasgadamente teatral. Há ainda a delicada direção de Humberto Vieira, que dá à Cida atriz-cantora alguns momentos impagáveis, como quando espatifa uma taça no chão do palco, ou quando beija uma rosa para em seguida esmagá-la entre os dedos, jogando os fragmentos em direção à plateia, como quem diz "peguem, este é o corpo de Cida", numa debochada paráfrase cristã. E Cida, como ela própria admite, se revela 100% no repertório de A dama indigna. The man I love e Canção desnaturada são as maiores provas disso: é quando Cida fala de seus maiores amores, utilizando o que de melhor sabe fazer para expor suas entranhas apaixonadas.
Só para finalizar, mas sem esgotar o conteúdo do show, é preciso mencionar a divertidíssima recriação vocal para Sou assim. Ou do mega sucesso Back to black, que com Cida ganha contornos waitsianos-brechtianos (e poderia ser diferente?).
Foi um privilégio ter assistido novamente a essa grande, grande cantora brasileira, a quem eu tenho o prazer de conhecer fora dos palcos também. Essa escorpiana (minha colega de signo) tem a chama rara da arte completa. Os cabelos avermelhados de Cida são como que a ponta do iceberg desse talento, que parecem assinalar a paixão que a queima. Parabéns Cida e Humberto, vocês são demais.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

INIMIGOS DE CLASSE

A foto acima é do primeiro encontro da montagem do espetáculo INIMIGOS DE CLASSE, que estreará em março de 2012, com direção de Luciano Alabarse. O texto do inglês Nigel Williams trata de um grupo de estudantes que, enquanto espera a chegada do novo professor, decide dar aulas, uns para os outros, sobre os assuntos que cada um domina. Uma linguagem crua, violenta e urgente impregna esse universo. A escola é uma selva onde cada um se defende como pode. Uma crítica implacável à educação degradada nas escolas, mas também ao desinteresse assustador que se vê nos jovens de hoje em relação ao ensino.
Na foto, o elenco: da esquerda para a direita, Denis Gosch, Fernando Zugno, Fabrizio Gorziza, Marcelo Ádams, Marcello Crawshaw, Gustavo Susin e Eduardo Steinmetz. Há ainda a participação de Mauro Soares, interpretando um professor, e de Margarida Peixoto, fazendo a preparação corporal do elenco.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

GOELA ABAIXO em Passo Fundo

O espetáculo GOELA ABAIXO OU POR QUE TU NÃO BEBES?, que desde 2003 se apresenta pelos palcos gaúchos (e fora do RS, com muita alegria), será mostrado no próximo domingo, dia 16 de outubro, às 20h, no Teatro do SESC em Passo Fundo. Adaptado da peça do dramaturgo tcheco Václav Havel, tem direção de Marcelo Adams, com Margarida Leoni Peixoto e o próprio Marcelo no elenco.
Ambientado em uma cervejaria do Leste europeu, essa comédia dramática teve em nossa encenação a inspiração da obra de outro grande tcheco, o escritor Franz Kafka. Poder, embriaguez, burocracia, perseguição política e humor fazem parte dessa receita que tem dado certo desde a estreia. E Porto Alegre receberá, no próximo verão, a já tradicional temporada de Goela abaixo no Teatro de Arena.

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA ainda em cartaz nos cinemas

O longa metragem rodado inteirmante no RS A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA, dirigido por Fabiano de Souza, continua em cartaz nos cinemas de Porto Alegre, desta vez no CINE BANCÁRIOS, em sessões diárias. No elenco Marcelo Adams, Marcos Contreras, Miriã Possani e Rafael Sieg. Premiado em festivais pelo Brasil, o filme é um deliciosa viagem pelo litoral gaúcho, ao som de Arthur de Faria, Wander Wildner, Nei Lisboa...

terça-feira, 4 de outubro de 2011

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA continua em cartaz nos cinemas


O longa metragem gaúcho A ÚLTIMA ESTRADA DA PRAIA, dirigido por Fabiano de Souza, continua em cartaz nos cinemas de Porto Alegre. Além do Santander Cultural, o filme estreia agora na Sala Eduardo Hirtz da Casa de Cultura Mario Quintana, com sessões diárias às 19h. No elenco, Marcelo Adams, Rafael Sieg, Marcos Contreras e Miriã Possani.

sábado, 24 de setembro de 2011

Academia Brasileira de Letras: o que é isso?

A cada nova eleição para substituição de um membro da Academia Brasileira de Letras morto, repete-se a história conhecida. Indivíduos com medíocre ou inexpressiva produção literária são eleitos, com a benção dos próprios imortais. Desta vez, o eleito para a cadeira de Moacyr Scliar, falecido no início deste ano, foi Merval Pereira. Sabem quem é? Eu sei, porque assisto o Jornal da Globo e várias vezes o vi falando sobre economia e política. É um jornalista de inegável qualidade, mas não tenho nenhuma dúvida de que não merecia estar lá. Sim, não merecia, porque em um país onde há um Rubem Fonseca, um Ziraldo, um Ignácio de Loyola Brandão, um Zuenir Ventura, um Luís Fernando Veríssimo, é inexplicável que se eleja alguém como Merval, em vez destes grandes escritores.
A ABL já conta em seus quadros como figuras inacreditáveis e risíveis como Marco Maciel e José Sarney, além do polêmico Paulo Coelho. Mário Quintana e Erico Veríssimo, para ficar apenas em grandes nomes gaúchos, não pertenceram à academia. Agora, começo a temer que vejamos, daqui a alguns anos, tomando chá nas acadêmicas tardes cariocas, Marta Medeiros e Roberto Shinyashiki. Será?

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A LIÇÃO: uma apresentação inesquecível

No último dia 20 de setembro, apresentamos nosso espetáculo A LIÇÃO no Teatro de Arena. Embora na grade de programação do 18º Porto Alegre em Cena, o espetáculo participou da mostra da Descentralização, com entrada franca. Superlotamos o Arena (que em nossa configuração, previa 95 lugares), 116 espectadores assistiram. E outros 40 foram embora, sem conseguir entrar. Bem, após a apresentação, recebemos tantas e tão belas demonstrações de apreço pela peça, que decidi reproduzir aqui apenas uma delas, recebida do ator, diretor e dramaturgo Cláudio Benevenga (para não falar que o Benevenga é também figurinista e cenógrafo premiado). Aí vai:

"Geralmente não costumo escrever sobre o trabalho dos meus colegas, principalmente em redes sociais, onde as palavras podem tomar múltiplas interpretações, dependendo da forma como são compreendidas.
Mas, depois de assistir “A Lição” de Eugène Ionesco, da Cia de Teatro Ao Quadrado, não tive como me isentar de postar um pequeno comentário sobre este trabalho.
Dentre todas as peças que tive a oportunidade de assistir no 18º POA em Cena, esta com certeza foi a que mais me impactou em todos os sentidos. Interpretações perfeitas e no ponto exato de Marcelo Adams e Luísa Herter e uma direção surpreendente e de tirar o fôlego de Margarida Leoni Peixoto.
Longe do bairrismo, da pretensão de querer achar que somos os melhores, mas gostaria de aproveitar estas linhas para pedir a curadoria do festival que tenha um olhar mais atencioso ao teatro que é produzido no RS e que também tenha maior cuidado na seleção das obras nacionais e internacionais que fazem parte da programação, deste que é sem dúvida, o mais importante festival de teatro do nosso país.
Obrigado Marcelo Adams, Luísa Herter, Margarida Leoni Peixoto, Zoé Degani, Rô Cortinhas, Fernando Ochôa e todos os envolvidos neste projeto por terem me emocionado tanto com este belíssimo e intenso espetáculo!
Saí do teatro hoje orgulhoso de ser um artista made in RS."
Obrigado pelas lindas palavras. Em nós, da Cia. de Teatro ao Quadrado, elas ressoaram como recompensa pelo trabalho de pesquisa que resultou no espetáculo. Sabe-se, desde sempre, que uma obra de arte é construída tanto por quem está no palco como por quem está na plateia. Nesse sentido, ficamos felizes que existam espectadores como o Benevenga, que não se limitam a cartilhas teatrais ultrapassadas, e que se deixam contaminar pelo que o teatro tem de mais específico: a capacidade de se reinventar, de surpreender, de proporcionar associações inusitadas e insuspeitadas.

domingo, 18 de setembro de 2011

A LIÇÃO no 18º Porto Alegre em Cena

 Nesta terça-feira, 20 de setembro, feriado, acontecerá no Teatro de Arena (Av. Borges de Medeiros, 835) a apresentação do espetáculo A LIÇÃO, dentro da programação do 18º Porto Alegre em Cena.
A LIÇÃO é um dos textos mais conhecidos do Teatro do Absurdo, escrita pelo dramaturgo romeno Eugène Ionesco em 1950. A Cia. de Teatro ao Quadrado volta a cartaz apenas neste dia 20, às 18 horas, com ENTRADA FRANCA.
Se você ainda não assistiu, não perca a oportunidade de conferir uma das peças mais bem comentadas de 2010. Leia o que foi dito sobre A LIÇÃO:
 "Impressionante o clima de humor e tensão que vai se estabelecendo no decorrer do espetáculo, nos levando da diversão à tragédia, mexendo com nossas emoções" (ANTÔNIO CARLOS FALCÃO, ator)

"A LIÇÃO é um espetáculo necessário. Peça contemporânea de alto nível, impactante, com ótimas atuações e uma direção impecável. Mexe com as nossas gavetas de emoções: desarruma, mas não deixa nada atirado no chão" (ARTUR JOSÉ PINTO, ator e dramaturgo)

"A LIÇÃO nos dá uma verdadeira aula de atuação. É um espetáculo que precisa ser visto para que tenhamos a noção da palavra "ensaio". Marcelo e Luísa estão inteiros e intensos em cena. Muita emoção e técnica, uma dupla perfeita sob a batuta da diretora Margarida Leoni Peixoto" (NADYA MENDES, atriz)

"Margarida, ao centrar sua direção no caráter brutal do texto, fez uma escolha perigosa mas justificável. O final da peça, com a aluna presa àquela cadeira (de ginecologista?) ultrapassa a brutalidade e atinge o nível do horror absoluto. E o sangue a gotejar na bacia remete de imediato à mais espantosa escatologia do horror. Marcelo nos dá uma aula de interpretação em que a voz  tem um papel fundamental. Parabéns por essa voz que, há anos não se ouvia tão bem empregada em cena." (IVO BENDER, dramaturgo)

"Numa interessante experiência conceitual, A LIÇÃO da Cia. de Teatro ao Quadrado passa a ser tão de Hitchcock quanto de Ionesco, e algumas outras possibilidades de leitura dessa obra prima ficam ao dispor do público inteligente. As atuações de Marcelo Adams e Luisa Herter estão primorosas" (CAMILO DE LÉLIS, encenador)

"Um texto clássico do Teatro do Absurdo, encenado de forma vigorosa, contundente e corajosa, com desempenhos de tirar o fôlego...extraordinariamente assustadora, levando às últimas consequências a dramaturgia de Ionesco... um luxo..." (CIDA MOREIRA, cantora)

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

A última estrada da praia estreia hoje nos cinemas!

Finalmente chega aos cinemas de Porto Alegre o longa dirigido por Fabiano de Souza. As sessões acontecem a partir desta sexta-feira nos seguintes cinemas e horários:

UNIBANCO ARTEPLEX - 14h e 20h
INSTITUTO NT - 21h
SANTANDER CULTURAL - 15h, 17h e 19h

É um fato a ser comemorado a estreia de um filme gaúcho em três salas.
A última estrada da praia é cinema feito aqui, por gente daqui, com qualidade, profissionalismo e ambição artística.
Programa obrigatório para quem faz arte em Porto Alegre!


quarta-feira, 14 de setembro de 2011

A última estrada da praia- TRAILER


Trailer do filme A Última Estrada da Praia, uma produção Rainer e Okna, dirigida por Fabiano de Souza.

ESTREIA EM PORTO ALEGRE DIA 16 DE SETEMBRO DE 2011
A Última Estrada da Praia
duração: 93min.

Leo, Norberto e Paula são muito mais que amigos. No início de uma viagem para o litoral, conhecem um estranho que não fala. Os quatro partem num périplo em que o sabor do percurso é vivenciado sem pressa. Enquanto o amigo silencioso se defronta com seus temores, Leo, Norberto e Paula mergulham nas fronteiras de um relacionamento triangular. Nas areias intermináveis das praias gaúchas, eles descobrem que é impossível ser alegre o tempo inteiro. Inspirado em O Louco do Cati de Dyonelio Machado.

com: Rafael Sieg, Marcos Contreras, Miriã Possani e Marcelo Adams.
direção: Fabiano de Souza
roteiro: Fabiano de Souza e Vicente moreno
inspirado no livro O Louco do Cati, de Dyonelio Machado
produção executiva: Aleteia Selonk
direção de fotografia: André Luís da Cunha
direção de arte: Adriana Borba
som direto: Gabriela Bervian
montagem: Milton do Prado
música: Arthur de Faria
desenho de som: Tiago Bello e Alesandre Kumpinski

Classificação indicativa: 16 anos.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Com fôlego na estrada


Uma praia é uma praia é uma praia...

domingo, 11 de setembro de 2011

A última estrada da praia: alegria de viver o momento

Estreia dia 16 de setembro, nos cinemas Santander Cultural, Unibanco Arteplex e Instituto NT.