O homem e a mancha

O homem e a mancha

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

A LIÇÃO: uma apresentação inesquecível

No último dia 20 de setembro, apresentamos nosso espetáculo A LIÇÃO no Teatro de Arena. Embora na grade de programação do 18º Porto Alegre em Cena, o espetáculo participou da mostra da Descentralização, com entrada franca. Superlotamos o Arena (que em nossa configuração, previa 95 lugares), 116 espectadores assistiram. E outros 40 foram embora, sem conseguir entrar. Bem, após a apresentação, recebemos tantas e tão belas demonstrações de apreço pela peça, que decidi reproduzir aqui apenas uma delas, recebida do ator, diretor e dramaturgo Cláudio Benevenga (para não falar que o Benevenga é também figurinista e cenógrafo premiado). Aí vai:

"Geralmente não costumo escrever sobre o trabalho dos meus colegas, principalmente em redes sociais, onde as palavras podem tomar múltiplas interpretações, dependendo da forma como são compreendidas.
Mas, depois de assistir “A Lição” de Eugène Ionesco, da Cia de Teatro Ao Quadrado, não tive como me isentar de postar um pequeno comentário sobre este trabalho.
Dentre todas as peças que tive a oportunidade de assistir no 18º POA em Cena, esta com certeza foi a que mais me impactou em todos os sentidos. Interpretações perfeitas e no ponto exato de Marcelo Adams e Luísa Herter e uma direção surpreendente e de tirar o fôlego de Margarida Leoni Peixoto.
Longe do bairrismo, da pretensão de querer achar que somos os melhores, mas gostaria de aproveitar estas linhas para pedir a curadoria do festival que tenha um olhar mais atencioso ao teatro que é produzido no RS e que também tenha maior cuidado na seleção das obras nacionais e internacionais que fazem parte da programação, deste que é sem dúvida, o mais importante festival de teatro do nosso país.
Obrigado Marcelo Adams, Luísa Herter, Margarida Leoni Peixoto, Zoé Degani, Rô Cortinhas, Fernando Ochôa e todos os envolvidos neste projeto por terem me emocionado tanto com este belíssimo e intenso espetáculo!
Saí do teatro hoje orgulhoso de ser um artista made in RS."
Obrigado pelas lindas palavras. Em nós, da Cia. de Teatro ao Quadrado, elas ressoaram como recompensa pelo trabalho de pesquisa que resultou no espetáculo. Sabe-se, desde sempre, que uma obra de arte é construída tanto por quem está no palco como por quem está na plateia. Nesse sentido, ficamos felizes que existam espectadores como o Benevenga, que não se limitam a cartilhas teatrais ultrapassadas, e que se deixam contaminar pelo que o teatro tem de mais específico: a capacidade de se reinventar, de surpreender, de proporcionar associações inusitadas e insuspeitadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário