O homem e a mancha

O homem e a mancha

segunda-feira, 21 de setembro de 2009

O dragão


A montagem do Amok Teatro, grupo carioca dirigido por Ana Teixeira, tem como protagonista o ator Stephane Brodt. Interpretando um palestino e um judeu, Brodt dá um show de técnica e emoção. A temática da beligerância entre palestinos e israelenses tem me interessado bastante, e um dos próximos projetos da Cia. de Teatro ao Quadrado terá esse conflito como base. Sobre a encenação do Amok, resta dizer que é muito bela e eficiente em sua denúncia do insano combate, que se arrasta há anos. A música executada ao vivo é quase sempre oportuna (exceto quando sublinha demais a ação, o que acontece algumas vezes). No entanto, a alta voltagem emocional alcançada pelos depoimentos de palestinos e israelenses, encarnados pelos atores, garante momentos de verdadeira comoção. Era possível ouvir a plateia fungando, emocionada pelas descrições das atrocidades. Do Amok guardo boas lembranças, principalmente por uma linda versão de Macbeth, totalmente orientalizada, originalíssima em sua plasticidade. Um grupo muito sério, que pesquisa a fundo para seus espetáculos. Fiquei ainda mais fã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário