O homem e a mancha

O homem e a mancha

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

La madre impalpable

Jorgelina Aruzzi é autora, diretora, figurinista, cenógrafa, produtora e protagonista do espetáculo argentino La madre impalpable, segundo informa o programa da peça. Ela é uma mulher de teatro completa, é o que se pôde perceber assistindo à sua brilhante performance. Além de dominar várias funções técnicas, domina totalmente seus meios de expressão: a voz/corpo. E ainda mais, faz isso com um senso de humor e um timing de comédia perfeitos. Ela é muito engraçada, muito engraçada, e consegue extrair o riso de uma velha situação, exemplificada pela mítica mãe judia, que cobre seu filho de cuidados. No caso da peça argentina, não se trata de uma mãe judia, mas poderia ser, perfeitamente. O humor ácido, negro, sardônico, é delicioso. Como já escrevi, em 2010 estreará minha nova direção, Mães & sogras, texto de Leandro Sarmatz, onde a relação entre uma mãe judia e seu filho (que nunca aparece) é a tônica. Assistir a La madre impalpable me fez renovar a certeza de que a relação mãe-filho pode ser hilariante.

5 comentários:

  1. também acho uma pessa interessante e a atriz jorgelina aruzzi muito boa na parte de atuar

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Morro de vontade de ver "La Madre Impalpable" e quem sabe até fazer a versão brasileira... Passei a querer ser atriz por causa de Jorgelina Aruzzi.

      Excluir
  2. Também escrevo (de tudo um pouco, literalmente)... As novelas que eu escrevo são sempre baseado as em um trabalho que ela fez na TV.

    ResponderExcluir
  3. Também escrevo (de tudo um pouco, literalmente)... As novelas que eu escrevo são sempre baseado as em um trabalho que ela fez na TV.

    ResponderExcluir
  4. Que bom, Layra, tiveste, certamente, um bom estímulo, a partir do trabalho da Jorgelina Aruzzi.

    ResponderExcluir