O homem e a mancha

O homem e a mancha

quarta-feira, 16 de março de 2011

Sessão da classe

Nos dias 14 e 15 de março aconteceu, no Teatro Renascença, o evento Sessão da classe, promovido pela Coordenação de Artes Cênicas da SMC de Porto Alegre, com curadoria do jornalista e mestrando em Artes Cênicas Renato Mendonça. Fui um dos artistas de Porto Alegre convidados para participar da conversa, que tinha uma estrutura onde cada um dos cinco convidados de cada noite respondia a uma "provocação" do Renato, passando-se depois para a plateia a oportunidade de fazer perguntas ou declarações a respeito do assunto que se estava discutindo. A primeira sessão teve o tema "O que é sucesso" como catalizador, e Airton de Oliveira, Daniel Colin, Eva Schul, Patrícia Fagundes e Zé Victor Castiel se revezaram em falar sobre isso. A segunda noite contou com Alexandre Vargas, Camilo de Lélis, Hamilton Leite, eu e Roberto Oliveira falando sobre "Como fazer um sucesso".
A presença do público na plateia do Renascença foi menor do que eu esperava, cerca de 50 por noite, mas ainda sim composta por pessoas representativas do nosso teatro, como Margarida Leoni Peixoto, Júlio Conte, Adriane Mottola, Néstor Monastério, Hermes Bernardi Jr., Alexandre Fávero, Sílvio Ramão, Vanja Ca Michel, etc, além da participação, via Facebook e Twitter, de outros colegas, como Patsy Cecato, Simone Buttelli e Nádia Mancuso.
O que acredito, e disse isso em minha fala final, ontem, é que importa menos a resposta ao tema "Como fazer sucesso" - esse absolutamente relativo e não atrelável a fórmulas - do que a oportunidade que tivemos de reunir, em um mesmo espaço crítico, pessoas que fazem o dia a dia das artes cênicas gáuchas, falando de temas eminentemente práticos. Repito: temas práticos, que dificilmente se aprendem nos bancos acadêmicos. A teoria é importante, é óbvio, mas a prática de quem se forma profissional atuando no mercado é tão rica quanto as pesquisas de gabinete. Por isso, talvez, sinta-se a ausência de professores do curso de Teatro da UFRGS. Na noite de ontem, apenas Clóvis Massa e Camila Bauer dispuseram-se a comparecer a um evento que discute diretamente temas que deveriam ser do interesse de pessoas que ensinam alunos a fazer teatro. E ainda: os dois professores do DAD que participaram do encontro, Clóvis e Camila, são da área da teoria. Portanto, nenhum professor de áreas práticas do teatro compareceu à Sessão da classe. Estranho, mas significativo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário