O homem e a mancha

O homem e a mancha

domingo, 26 de dezembro de 2010

Você vai conhecer o homem dos seus sonhos

Assisti ao mais recente filme de Woody Allen, de 2010, Você vai conhecer o homem dos seus sonhos. O título, aparentemente referindo-se apenas a um romance convencional, tem na ambiguidade de sua significação um de seus maiores méritos, e um tema que perpassa, de alguma forma, a história das principais personagens. O "tall dark stranger" do original pode se referir, também, à morte (naquela figura que faz parte do imaginário coletivo, como a Senhora com a Foice, vestida de negro, magra e alta), seja como fim da vida em si, seja como a morte de um relacionamento, ou talvez como um orgasmo (que os franceses chamam, metaforicamente, de "la petite mort", a pequena morte). O filme de Allen fala de relacionamentos desgastados; da busca pela juventude perdida; da crença mística em um mundo ordenado. Todos esses são temas que compõem o nosso mundo, encontráveis em cada esquina, ou em nós mesmos.
Woody Allen tem, dentro de sua vasta filmografia (quase 50 filmes dirigidos), algumas temáticas e formas que voltam à pauta, recorrentemente. Neste filme de 2010, Allen retoma a discussão moral de filmes como A outra (Another woman, 1988), Crimes e pecados (Crimes and misdemeanors, 1989), Match point (2005) e O sonho de Cassandra (Cassandra's dream, 2007). Dostoievskianamente falando (autor russo do qual Allen é grande admirador), a culpa e o fracasso rondam a história ambientada na Londres contemporânea. Melancólico muitas vezes, sem a preocupação em fazer rir com tanta frequência como em outros de seus filmes (mas isso acontece algumas vezes, sem dúvida), Você vai conhecer... é um filme que traz grandes méritos, principalmente pelo seu excelente elenco, composto por Naomi Watts, Gemma Jones, Anthony Hopkins, Josh Brolin, Pauline Collins e Antonio Banderas. Para mim, um dos melhores dos últimos anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário