O homem e a mancha

O homem e a mancha

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

O horror continua

A governadora do RS, Yeda Crusius, continua fazendo cagada até o fim de seu mandato. Agora, o horror envolve a abominável ex-secretária da Cultura, Mônica Leal. Pois Yeda vai conceder àquela inútil a Medalha Flores da Cunha por "excepcional atuação no campo da gestão". Isso é tão absurdo que chega a ser uma afronta. A Mônica jamais foi a um teatro durante quatro anos de gestão, jamais colocou os pés nos próprios órgãos mantidos pela Secretaria da Cultura, como o Ieacen e o Teatro de Arena. Essa mulher é uma oportunista, que não tem nenhum envolvimento com a cultura, e se atreveu ainda a pedir os nossos votos para NÃO se eleger deputada estadual. Estamos livres, por enquanto, daquela incompetência, mas tudo que é ruim tenta se eternizar, como bem sabem os artistas do nosso estado. Mônica vai tentar voltar, tenham certeza. Os oportunistas, que crescem puxando o saco dos outros, e tentando mostrar um pseudo conhecimento baseado em meia dúzia de informações equivocadas e perigosamente normativas, inundam as cidades. Talvez a bruxa tente se candidatar a vereadora de Porto Alegre: mas aqui, se os deuses quiserem, ela não monta mais barraca.

2 comentários:

  1. Marcelo: o quê dizer de uma PRETENSA secretária de cultura cujo projeto principal resumia-se a re-criar os bailes de debutantes nas cidades do interior?
    Palmas para a tua iniciativa.
    Claudio Nunes.

    ResponderExcluir