O homem e a mancha

O homem e a mancha

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Ano novo, vida nova: 10 anos de uma estreia

Há dez anos, em 5 de janeiro de 2001, estreava no Teatro Renascença o espetáculo Ano novo, vida nova, da inesquecível dramaturga, contista e tradutora Vera Karam (1959-2003). No elenco, composto por grandes artistas das artes cênicas gáuchas, e do qual eu tive o prazer de fazer parte, estavam Carlos Cunha Filho, Lurdes Eloy, Naiara Harry, Lila Vieira, Evandro Soldatelli, Geórgia Reck, Elaine Regina e Jefersonn Silveira. A direção de Decio Antunes, a cenografia de Félix Bressan, os figurinos de Alexandre Magalhães e Silva e a iluminação de João Castro Lima, além das participações especiais de Nelson Diniz e Luciana Éboli, como as vozes da telenovela que se ouvem durante a peça, construíam uma comédia mordaz sobre as relações de família em uma virada de Ano Novo. Sem dúvida é o melhor texto de Vera, premiado em primeiro lugar no Concurso de Dramaturgia Qorpo Santo. Tínhamos, coisa rara, plateias lotadas em todas as sessões que fazíamos: o público entrava profundamente na história, e o comum era haver aplausos em cena aberta quando eu dançava um tango com o Evandro (a foto acima mostra esse momento). Viajamos por várias cidades do interior do RS, e foi muito bom dar essa alegria à Vera, que se deliciava quando vinha nos cumprimentar ao fim da apresentação.
Estamos virando o ano novamente, e como Vera já desejava em seu título, espero que a vida nova, repleta de coisas boas, nos aguarde em 2011.

Um comentário:

  1. Olha só como as coisas são. 10 anos depois, a peça vai estrear em SP. Agora, nesse sábado! Meu grupo montou o espetáculo. Dei um google pro clipping de imprensa e achei esse teu post. Achei legal dividir isso :)
    Abs, Marcio

    ResponderExcluir