O homem e a mancha

O homem e a mancha

sábado, 1 de maio de 2010

Asterisco: a popular "estrelinha"


Quando Fausto Silva, um dos mais populares apresentadores da TV brasileira vem, dezenas de vezes por dia, dizer que, para enviar um "torpedão" para uma promoção qualquer, é só discar o número tal pelo celular e, em seguida apertar "asterisco, a popular estrelinha", me sinto um pouco desconcertado.
A primeira hipótese que me vem à mente é: os criadores do comercial acreditam que o público alvo dessa campanha é tão ignorante que não sabe sequer o que é asterisco. Talvez, pensam eles, imagine tratar-se de uma planta, da família dos hibiscos...
A segunda hipótese não é melhor que a outra: os milhões de espectadores que vão enviar um torpedão para o Faustão são, de fato, ignorantes, e nunca ouviram falar em asterisco, apesar de confrontarem-se com ele dezenas de vezes por dia, quando mandam SMS para seus amigos.
Um país que não lê não pode crescer economicamente, ou pode? Até onde vai esse crescimento, me pergunto então. Crescer não é apenas produzir empregos, oportunizar que as classes menos favorecidas tenham alcance aos bens materiais. No Brasil mesmo, isso já aconteceu nos anos 1970, durante o governo do mais sanguinário dos presidentes militares: Emílio Garrastazú Médici. Na época, chamou-se de "milagre econômico" à desenfreada onda de otimismo da classe média, que poderia finalmente "arrumar suas casinhas". Por trás dessa cortina de fumaça, torturas, assassinatos políticos e um "varrer-para-debaixo-do-tapete" o que parecer desagradável.
O asterisco, a popular estrelinha, precisa encontrar nome entre o povo. Senão, corre o risco de se transformar em uma bonitinha estrela de oito pontas, apenas. O asterisco tem nome, sim. Já utilidade prática, é outra história. Talvez seja o mesmo caso do teatro: não serve para nada, mas é o termômetro de uma cultura, é o reflexo da sensibilidade de uma população. Às vezes o que parece não ter nehuma serventia é o que mais contribui para o engrandecimento de um ser humano. Isso sim, é o teatro.

Um comentário:

  1. Ha tempos as op celular rebatizaram o asterisco em estrela e o sustenido em JOgO dA velha (kkk!)
    Para que esclarecer o povo quando o q se quer eh o seu pila?

    ResponderExcluir