O homem e a mancha

O homem e a mancha

sábado, 14 de novembro de 2009

Santo Antônio das Conservas


Na noite desta sexta-feira, 13 de novembro, apresentamos O médico à força em Lajeado, no salão paroquial da igreja de Santo Antônio das Conservas, para os humildes membros da comunidade. O convite partiu da Secretaria de Ação Social do RS, intermediado pelo Ieacen, e representou para nós uma experiência totalmente diferente de tudo que já havíamos realizado com esse espetáculo. Como se pode ver nas imagens acima, o local de apresentação era completamente improvisado - inclusive não levamos todo nosso cenário, apenas o banco, pois não havia possibilidade de produzir o transporte necessário, por questão de custos. No entanto, foi muito gratificante levar nosso trabalho para um grupo de pessoas que nunca havia visto teatro, pessoas que nos acolheram de forma entusiasmada e alegre. Iluminação não havia, apenas algumas lâmpadas fluorescentes; coxias inexistiam, improvisamos uma rotunda, atrás da qual permaneciam os atores, com uma lona plástica. Poltronas confortáveis nem pensar: cadeiras de madeira acolheram os espectadores. Goteiras ameaçavam a plateia e os atores, mas o santo da paróquia providenciou para que, durante a sessão, a intensa chuva que caíra durante todo o dia, cessasse. E o espetáculo fluiu encantadoramente, provando que, como já defendia Grotovski, um ator e um espectador são suficientes para que aconteça o ato teatral. O cachê que receberemos será pequeno, mas mesmo assim aceitamos o desafio, porque acreditamos que, às vezes, temos que contribuir com a difusão do que melhor sabemos fazer. O melhor foi a resposta ao final: "Esperamos que vocês voltem!". A paróquia com um nome tão curioso nos conservou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário