O homem e a mancha

O homem e a mancha

terça-feira, 14 de junho de 2011

Jesus Tubalcain morre




O ator Jesus Tubalcain, que faz parte da história do teatro em Porto Alegre, faleceu ontem. Jesus integrou a equipe do Teatro de Arena de Porto Alegre, fundado em 1967 por Jairo de Andrade, e atuou em alguns dos mais importantes espetáculos daquele importante espaço cultural:
Os fuzis da senhora Carrar, de Bertolt Brecht, direção de Wagner Mello
Judas em sábado de aleluia, de Martins Pena, direção de Marcelo Renato
Arena conta Tiradentes, de Augusto Boal e Gianfrancesco Guarnieri, direção de Luiz Carlos Arutin
Um, dois, três de Oliveira quatro, de Lafayette Galvão, direção de Ana Maria Taborda
A resistível ascensão de Arturo Ui, de Bertolt Brecht, direção de Jairo de Andrade
A dama de copas e o rei de Cuba, de Timochenko Wehbi, direção de Jairo de Andrade
Cordel, de Orlando Senna, direção de Luiz Carlos Neto Silva (Chibé)
Mumu, a vaca metafísica, de Marcílio Moraes, direção de Luciano Alabarse
Jornada de um imbecil até o entendimento, de Plínio Marcos, direção de Jairo de Andrade

As imagens acima foram retiradas do excelente livro Teatro de Arena: Palco de resistência, escrito pelo jornalista Rafael Guimaraens (Porto Alegre: Libretos, 2007).
Para quem quiser ver o Jesus Tubalcain atuando ao vivo, uma curiosidade: em 2004, atuei como um escrivão de polícia em um episódio da série Histórias Curtas, chamado O encontro, com direção de Geraldo Borowski. Nesse episódio, que se passava em Porto Alegre, durante o regime militar, Jesus aparece como ele mesmo, bem no começo da história, proprietário que foi do bar Love Story, nos anos 1970. Segue o link para conhecer esse importante ator que a cidade perdeu:


4 comentários:

  1. Poxa Marcelo, mais um ícone do nosso teatro de Porto Alegre que se vai. Um teatro que muitas vezes não é valorizado, nem mesmo por aqueles que o fazem. Tive o prazer de contracenar com ele neste episódio do histórias curtas. Homem simples com uma voz possante. Que agora ele se junte aos outros tantos ícones do teatro de Porto Alegre que se foram e façam uma linda peça nas nuvens. Quando eles chorarem por tantos desmandos e absurdos que acontecem em nossa capital saberemos através da chuva que há de tentar limpar nossa visão.
    Abraços sentimentais.
    Carlos Alexandre

    ResponderExcluir
  2. Que bom que fizeste esta singela homenagem. Vou colocar link para tua postagem no historia(s) do teatro. bjs

    ResponderExcluir
  3. Tio Jesus vai com Deus e brilhe , brilhe muito aí em cima beijus e saudades eternas

    ResponderExcluir
  4. vc me faz muita falta MOPAI nunca jamis sai da minha memoria te amo muito esteja onde estiver saudades e pouco!!!

    ResponderExcluir