O homem e a mancha

O homem e a mancha

sábado, 12 de maio de 2012

Scapino no espelho

ARTIMANHAS DE SCAPINO (Les fourberies de Scapin) uma das últimas comédias escritas por Molière (1622-1673), estreou em 24 de maio de 1671, no Teatro do Palais-Royal. O Palais-Royal, durante o reinado de Luís XIV, acolheu as peças de Molière, desde 1660 até a morte do autor. Quando de sua estreia, Scapin provocou reações acaloradas: comentava-se que Molière "regredira" à farsa rasgada, depois de ter apresentado tantas comédias de caracteres e de situações, como as críticas O avarento, Tartufo e Escola de mulheres. No entanto, o passar do tempo só veio confirmar que Artimanhas de Scapino é, de suas comédias, uma das mais bem urdidas e das que alcançam as mais altas reações cômicas. Inspirada, mais do que qualquer outra de suas obras, na comédia italiana (a Commedia dell'arte), esta farsa engenhosa de altíssima voltagem é a peça que escolhemos para comemorar os 10 anos da Cia. de Teatro ao Quadrado, com a qual ganhamos o Prêmio Myriam Muniz de Teatro 2011 para montagem, concedido pela Funarte.
A foto acima, de Júlio Appel, foi clicada durante a preparação para a criação da primeira imagem de divulgação da peça: eu, caracterizado e maquiado por Margarida Leoni Peixoto, a diretora do espetáculo.
A estreia já está marcada: 29 de junho, dia de São Pedro, no Theatro São Pedro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário