O homem e a mancha

O homem e a mancha

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Incêndios

O filme franco-canadense Incêndios (Incendies, 2010) concorreu na última edição do Oscar à categoria de Melhor Filme Estrangeiro, perdendo para o dinamarquês Em um mundo melhor. No entanto, a produção dirigida por Denis Villeneuve seria dignamente premiada se levasse a estatueta: as qualidades do filme são muitas, praticamente obliterando uma pequena falha de verossimilhança na história.
Baseado na peça teatral de Wajdi Mouawad, o filme lembra a estrutura de uma tragédia grega, fazendo várias citações de eventos encontráveis em obras de Ésquilo, Sófocles e Eurípides, entre elas o famoso reconhecimento (que existe em peças como Coéforas e Electra, além da Odisseia, a grandiosa epopeia de Homero). Também se percebem ecos de tragédias euripidianas como As troianas e Hécuba. Porém, a mais profunda das homenagens é mesmo a Édipo rei, de Sófocles, considerada por Aristóteles a mais perfeita das tragédias.
Para não estragar as surpresas, basta dizer que a história leva um casal de gêmeos ao Oriente Médio, em busca do pai e de um irmão desconhecido. A trama é entremeada por flash backs que mostram a peregrinação da mãe dos gêmeos em busca de um filho, em meio a terríveis atrocidades provocadas pela insana guerra santa entre católicos e palestinos.
Um filme lindo, com direito a trilha sonora de Radiohead. Não dá pra perder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário