O homem e a mancha

O homem e a mancha

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

A última estrada da praia

Em outubro de 2007, um grupo de loucos passou duas semanas no litoral gaúcho filmando o longa-metragem A última estrada da praia, dirigido por Fabiano de Souza, co-autor do roteiro, juntamente com Vicente Moreno.
Entre esses loucos, apaixonados por cinema, estava eu, dividindo a cena com Miriã Possani, Marcos Contreras e Rafael Sieg, em um road movie tipicamente gaúcho. Agora, finalmente, o longa terá sua primeira exibição, no Festival de Gramado, na Mostra Panorâmica. Na foto aí de cima, eu dirijo a caminhonete Rural (praticamente co-protagonista do filme) da minha personagem, o Léo.
O filme é inspirado no romance O louco do Cati, de Dyonélio Machado, e tem como uma das principais veias o triângulo amoroso entre o meu personagem, o da Miriã e do Marcos.
A exibição será no dia 10 de agosto, às 14h30min, no Palácio dos Festivais, em Gramado, com entrada franca. Eu gostaria muito de estar lá, mas deveres prioritários me prendem em Porto Alegre. Quem puder ir conferir, vá!

Duração do Filme: 93 MINUTOS

Ano Produção: 2010

Mídia/Formato: HD

Empresa Produtora: OKNA PRODUÇÕES CULTURAIS

Produtor Executivo: ALETÉIA SELONK

Diretor: FABIANO DE SOUZA

Roteirista: FABIANO DE SOUZA E VICENTE MORENO

Atores: MARCELO ÁDAMS ,RAFAEL SIEG E MARCOS CONTRERAS

Atrizes: MIRIÃ POSSANI

Diretor de Fotografia: ANDRÉ LUIS DA CUNHA

Diretor de Arte: ADRIANA BORBA

Trilha Musical: ARTHUR DE FARIA

Montagem: MILTON DO PRADO

Trilha Sonora (Original): ARTHUR DE FARIA

Sinopse: Leo, Norberto e Paula são muito mais que amigos. No início de uma viagem para o litoral, conhecem um estranho que não fala. Os quatro partem num périplo em que o sabor do percurso é vivenciado sem pressa. Enquanto o amigo silencioso se defronta com seus temores, Leo, Norberto e Paula mergulham nas fronteiras de um relacionamento triangular. Nas areias intermináveis das praias gaúchas, eles descobrem que é impossível ser alegre o tempo inteiro. Inspirado em O LOUCO DO CATI de DYONÉLIO MACHADO.

2 comentários:

  1. O bosta daí de cima não foi capaz nem de se identificar, mas já vaticinou sua opinão sem nem mesmo ter visto o filme. A internet pode ser mesmo o paraíso dos boçais.

    Vamos mudar de assunto: Marcelo, fizeste falta ontem lá em Gramado. A exibição foi ótima e a recepção tem sido muito boa.

    Mas teremos uma exibição em Porto Alegre num futuro próximo, e nos veremos todos por lá.

    abraço,

    Milton

    ResponderExcluir
  2. fiquei muito curiosa por esse filme, ainda não está passando em porto alegre né? quero muito assistir. se tiverem notícias não deixem de avisar!

    ResponderExcluir