O homem e a mancha

O homem e a mancha

domingo, 27 de março de 2016

NOITE DO DRAMA

Hoje, dia 26 de março, aniversário de 244 anos da cidade de Porto Alegre, aconteceu na Sala Álvaro Moreyra uma atividade tão necessária quanto bem-vinda: um encontro de dramaturgos, estudantes de dramaturgia e público interessado, com o objetivo de levantar alguns pontos relevantes para pensar a escrita para a cena, que vem se transformando com velocidade nas últimas décadas.
Fica difícil, atualmente, defender verdades absolutas quando se fala de arte (e dramaturgia é uma delas), com o risco de soar dogmático ou de se ter perdido o trem da história, que não para nunca, mesmo que por vezes dê a impressão de retornar a estações conhecidas. É por esse motivo que a reunião de alguns nomes que se autointitulam - ou são assim denominados - como dramaturgos, com toda a carga ambígua que essa denominação possa carregar, apresenta visões diferentes sobre o que é dramaturgia, como não poderia deixar de ser. Comum a todos, certamente, o apreço pela palavra - pelo drama, em suma - como potente combustível do teatro, essa arte tão maior que todas as partes que o compõem.
Na foto acima, figuram Luiz Paulo Vasconcellos, Diones Camargo, Cláudio Benevenga, Marcelo Ádams, Artur José Pinto, Júlio Conte, Renato Mendonça e Ivo Bender. Ficaram de fora da foto Jorge Rein, Natasha Centenaro, Jéssica Barbosa, Patrícia Silveira e mais alguns presentes no debate, além dos provocadores Camila Bauer, Clóvis Massa e Nelson Diniz.

Um comentário:

  1. Que legal esse encontro, para as próximas edições seria legal se tivesse mulheres na mesa! Imagina que a foto seria outra. Sei que havia mulheres no evento, mas nessa foto elas não estão... e enfim, é a mesa central, imagino.

    ResponderExcluir